jeans como isolamento térmico | from blue to green


A Bonded Logis desenvolve nos EUA uma material muito interessante para isolamento térmico, é o Ultratouch, ele é feito de fibras naturais de alta qualidade. segundo o fabricante o UltraTouch não provoca coceira e é muito fácil de segurar e trabalhar. Além disso não possuem materiais químicos e também não apresentamCOV (compostos orgânicos voláteis). Ele foi aprovado em todos os testes de incêndio, anti fungos e corrosividade, pontos fundamentais para um isolamento térmico de boa qualidade.

Como a empresa utiliza 85% de fibras naturais recicladas de rejeito industrial, eles tiveram a idéia de realizar uma campanha para ajudar os sobreviventes do furacão Katrina e lançaram uma campanha para doação de jeans usados. Famosos como o presidente Obama participaram das doações e com isso eles estão conseguindo proporcionar mais qualidade para as casas que estão sendo construídas com isolamentos feitos de jeans reciclado. O nome da Campanha é Cotton from Blue to Green

UltraTouch is an natural insulation made from high quality natural fibers. These fibers contain inherent qualities that provide for extremely effective sound absorption and maximum thermal performance. UltraTouch DOES NOT ITCH and is very easy to handle and work with.

It contains no chemical irritants and requires no warning labels compared to other traditional products. There are no VOC concerns when using UltraTouch, as it is safe for you and the environment. It is also a Class-A Building Product and meets the highest ASTM testing standards for fire and smoke ratings, fungi resistance and corrosiveness.
Contains 85% post-industrial recycled natural fibers making it an ideal choice for anyone looking to use a high quality sustainable building material.
There is an interesting point, the companie developed a campain to jeans donnation. Many famous people as Obama gave them a used jeans and with this material they made a natural insulation to the new houses at New Orleans.

conheça melhor o produto : http://bondedlogic.com/


google ecologico | redução de consumo e CO2




O Google realiza algumas ações interessantes visando promover a redução de consumo de energia e também a compensação de carbono.

A primeira ação se refere ao Google Black, http://googlediscovery.com/labs/googleblack/; Esta versão do buscador mais utlizado em todo o mundo reduz a consumo de energia em monitores com tubo.

A segunda ação de compesação de carbono funciona da seguinte maneira para cada 50 mil buscas é plantada árvore realizadas no Ecology 4 Planet http://www.eco4planet.com/. É possivel acompanhar o contador de arvores que serão plantadas através do proprio site e do Twitter, além disso o site acompanha a ideia inicial do Google Black é também possui fundo negro para reduzir o consumo de enrgia do monitor
Google realiza algunas acciones interesantes para la reducción del consumo de energía y también para la compensación del CO2.

Ha hecho el 
Google Black, http://googlediscovery.com/labs/googleblack/; una versión del buscador más utlizado en todo el mundo que tiene el color negro lo que reduz el consumo de energía en los monitores con el tubo.

La otra accione, la de compensación del carbono, funciona asi: 1 árbol plantado para cada 50 mil buscas realizadas en 
Ecology 4 Planet http://www.eco4planet.com/. Es posible acompañar el contador de árbols por el propio sitio o por el Twitter, por otra parte el sitio acompaña la idea inicial de Google Black y esta también en el color negropara reducir el consumo de enrgia del monitor.

estocolmo | european green capital


A cidade de Estocolmo vai ser eleita a primeira capital verde da Europa em 2010. A Revista Epoca publicou uma reportagem comentando as principais ações tomadas na cidade, vale a pena ver em quais pontos a cidade mais investiu.

Energia Solar - Os prédios e casas são cobertos com painéis solares e armazenam esta energia em caldeiras para o uso no longo inverno da região.

Água da chuva - Em Hammarby Sjöstad, o bairro ambiental modelo de Estocolmo, a água da chuva é reaproveitada, encaminhada para estação de tratamento e se transforma em água potável para as casas. Outros bairros de Estocolmo terão este tratamento de água no próximo ano.

Lixo – Os moradores separam o lixo (papel, alumínio, vidro e orgânico) e colocam em recipientes específicos, que sugam o lixo à vácuo por canos que percorrem o subterrâneo do bairro até depósitos de coleta. De lá, os caminhões o recolhem também por sugadores.

Energia - O lixo orgânico se transforma em adubo ou gás. Outros resíduos que não são recicláveis (como isopor, por exemplo) vão para uma usina de incineração também geradora de energia.

Combustível - Um quarto do transporte coletivo urbano utiliza combustível renovável; sendo etanol, oriundo do Brasil, e biogás, que é um tipo de mistura gasosa de dióxido de carbono e metano produzida naturalmente em meio anaeróbico pela ação de bactérias em matérias orgânicas.
Quem quiser saber mais sobre o assunto pode consultar o site da comunidade europeia sobre o tema: http://ec.europa.eu/environment/europeangreencapital/index_en.htm


The Swedish capital , Stockholm– which will be the first European Green Capital in 2010 – has the ambitious target of saying goodbye to fossils by 2050.
'The Venice of The North' is a term often used about the Swedish capital Stockholm, beautifully situated on the Baltic coast. Ten per cent of the city area is water, and the many lakes and water sheds are highly valued for recreational purposes. In fact, 95% of the population live only 300 m away from green areas, thus augmenting recreation, swimming, boating, better well being, water purification, noise reduction, enhancement of biodiversity and ecology.
That is why, in 2006, the City Council adopted a water protection plan setting standards for cleaner water and outlining methods by which this could be achieved. The ultimate goal is that all water in and around Stockholm should meet the requirements stipulated by the EU water directive by 2015. This should be done in a manner which preserves the recreational value of the lakes, water sheds etc.
Fewer green house gasesStockholm has just under 800.000 citizens but is growing rapidly. The city council's holistic vision combines growth with sustainable development and includes the ambitious target of becoming independent of fossil fuels by 2050.
The amount of green house gas which each inhabitant of Stockholm releases is 50% lower than the national average, and emissions per person have, since 1990, been reduced by 25%. Transport emissions are relatively low, and all public transport (all trains, and all inner city buses) run on renewable fuels, although the buses are not strictly classified as 'low emission' vehicles.
Sharing of experience Through its well-conceived communications strategy, Stockholm has shown its commitment and eagerness to share their experience and act as inspiration for other cities.
Strong networking and the involvement of local and international stakeholders will ensure that Stockholm and other cities further their efforts and boost environmental awareness across Europe. A separate organisation will be established to monitor the communications programme as a Secretariat.

a história das coisas | o ciclo de vida dos materiais

O vídeo produzido com Annie Leonard já foi assistido por milhões de pessoas ao redor do mundo e ele faz um relato muito bom do que significa o ciclo de vida dos materiais e sua importância. O ciclo linear de produção não existe em nenhum processo da natureza e é por isso que ela está em renovação constante. O ser humano é realmente estranho pois todos seus processos atuais são contra sua própria natureza, isto não deveria ser revisto? Grande parte de nossos processos não são circulares ou seja sempre retiramos recursos e no final da linha depositamos material no meio novamente, como se não tivéssemos reponsabilidade sobre isto. O que acontece agora com a população crescendo cada vez mais? O material que atiramos no meio demora um tempo grande para se tornar um recurso aproveitável novamente e nessa linha do tempo não teremos matéria prima para iniciar nossos processos. É preciso fechar o ciclo e consumir de maneira responsável e eficiente em toda a cadeia do processo: na retirada de materia prima, na produção, na distribuição e no descarte. Assitam ao vídeo que ainda fala da toxidade, responsabilidade social, governo entre outros.

http://www.storyofstuff.com/


arquitetura autóctona | los silos de villacañas

Villacañas é um pueblo que fica na região de Toledo da Espanha. Pueblo é uma vila, um povoado para os espanhóis, os pueblos são cheios de histórias e personalidade. Villacañas possue uma arquitetura autóctona muito interessante, onde podemos analisar como aqueles cidadãos respoderam perfeitamente ao meio que estavam, construindo suas casas com o mínino impacto ambiental e com muita eficiêcia e qualidade. Estas casas são chamadas silos e existem cerca de 1700 que foram construídos em meados do século XX. Como podemos ver são completamentes subterrâneas, foram escavadas pelos prórpios proprietários e serviam para atender as necessidades de uma comunidade rural que também armazenava palhas e animais dentro da casa. A casa é toda de terra, não existe nenhuma estrutura para fixá-la, é toda revestida internamente com cal, que além de ser um ótimo fixador, deixa a "parede"respirar e não elimina nenhum elemento tóxico. Sua cor branca ainda propicia o melhor aproveitamento da luz natural que acontece pelos lucernários superiores. Existem algumas torres também que promovem a ventilação do local. O quarto de abrigo dos animais fica ao lado do dormitório e eles aquecem indiretamente o cômodo. Villacañas fica em uma região de clima desértico, quente e seco. Existe muita diferença de temperatura no mesmo dia e uma casa subterrânea está completamente isolada termicamente da temperatura externa, uma resposta perfeita.

o impacto dos materiais construtivos

É difícil separar o projeto do edifício da escolha de materiais e componentes que o integram. A especificação influe profundamente no projeto e na eficiência do edifício. Existem algumas metodolgias para analisar o ACV , análise de ciclo de vida dos materiais. No livro Vitruvius Ecológico foram colocados alguns critérios para dimensionar o grau deste impacto de maneira simples, assim arquitetos e profissionais que tenham a preocupação com o impacto ambiental dos materiais construtivos podem fazer uma avaliação.

No caso de materiais utilizados em quantidades inferiores a 250Kg considerar:
. o impacto da produção do material: destruição de habitats e emissões tóxicas;
. risco para a saúde em qualquer etapa do processo construtivo para o local e o entorno;
. a vida útil do material;
. o destino final do material depois do término da sua vida útil: a reutilização é melhor que a reciclagem que por sua vez é melhor que a incineração que é melhor que o aterro;
. a redução ou separação dos resíduos da construção e a eliminação cuidadosa de resíduos tóxicos.

No caso de materiais utilizados em grandes quantidades, além dos aspectos anteriores considerar também:
. a natureza dos recursos utilizados: renováveis ou não renováveis, escassos ou abundantes;
. emissões de CO2 (em Kg/Kg) durante sua produção ou então se esta informação não estiver disponível considerar a energia embutida do material (em Kwh/Kg)
. a que distância e em qual o meio de transporte este material sai da fábrica e chega até o local da obra.

Assim acredito que de maneira simples é possível comparar fornecedores e produtos.

ecofont | a fonte furadinha que gasta - tinta


Há algum tempo existe já a preocupação com o desperdício na hora de imprimir nas empresas e em escritórios, sempre imprime-se mais do que realmente é necessário. Algumas soluções já surgiram para amenizar isto seja a reutilização de cartuchos, ou utilização de papel reciclado, a utilização de impressões erradas para blocos de notas, até mesmo mensagens em e-mails alertando sobre a real necessidade de imprimi-lo e por aí vai. Na verdade acredito que todas estas ações tenham reduzido um pouco o desperdício. Mas a agência de publicidade holandesa SPRANQ realmente inovou, criou a ecofont. Uma fonte que gasta menos tinta ao ser impressa. A idéia é simples mas genial como vocês podem ver a fonte é furadinha e por isso utiliza 20% a menos de tinta em sua impressão. Existe uma versão gratuita onde você faz o download da fonte e instala, porém precisa optar por ela na hora de redigir seus textos, e a versão profissional. Esta última é uma solução completa e é preciso comprar a licença, ela fura todas as fontes na hora de imprimir, não é genial. Para quem quiser coloco o site para fazer o download, lá explica direitinho como fazer a instalação.

La preocupación con el desperdicio a la hora de imprimir en las empresas hace tiempo ya existe y la verdad es que siempre se imprime a más que lo necesario. Ya hay algunas soluciones para disminuir esto, sea la reutilización de los cartuchos, la utilización del papel reciclado o los mensajes de internet alertando sobre la real necesidad de imprimir. De verdad acredito que estas acciones todas tengan reducido un poco el desperdicio. Pero la agencia de publicidad holandesa SPRANQ innovó y creó la ecofont. Una fuente que gasta menos tinta al ser impresa. La idea es simple pero genial, la fuente es llena de pequeños huecos como vosotros podéis ver y por eso utiliza 20% menos de tinta en su impresión. Una versión gratuita existe donde la persona haz el download de la fuente y la instala, además de eso se hace necesario optar por ella a la hora de redactar sus textos y hay también la versión profesional. Esta última es una solución completa y es necesario comprar la licencia, el software agujerea todas las fuentes a la hora de imprimir, no es genial. Para quien quiera coloco la dirección de web para hacer el download, allá explica cómo hacer la instalación.
Share/Bookmark

arquitetura biônica


A arquitetura biônica não está ligada a nenhum apelo robótico como a princípio este nome pode sugerir. Trata-se de uma ciência atual e interdisciplinar que surgiu primeiramente nos mediados do século XIX que combinam o estudo de ciências naturais com muitos engenharia e ciências técnicas. É a união da biologia, engenharia e energia. O objetivo é estudar as formas naturais e suas varições ou mutações para aplicá-las na arquitetura, no conceito do projeto. O foco principal é criar ambientes mais sustentáveis harmonizados com o meio social e ambiental onde serão inseridos aliados a alta tecnologia mas também aos princípios da arquitetura passiva e ecoeficiente.

O estúdio Cervera & Pioz introduz estes conceitos em projetos de edifícios e cidades, vale a pena conferir os projetos. Esta é uma maneira diferente de abordar as questões da sustentabilidade para implantação de conjuntos habitacionais ou vilas.

http://www.cerveraandpioz.com/architecture_v.htm

greenwash | o verniz verde

Afinal o que significa o termo greenwash? Este termo foi criado para destacar as empresas de todos os setores que através de suas embalagens e propagandas queriam de alguma maneira vincular seus produtos e serviços ao bom "relacionamento" com o meio ambiente. Se aliaram ao marketing para vender isto, e assim começaram a surgir termos e cores que estão cada vez mais presentes em muitos produtos como ecoeficientes, verde, baixo impacto ambiental, ecológico, baixa emissão de CO2 entre outros que na verdade não significam nada pois estas empresas não tinham como provar que realmente eram sustentáveis.

E como nós podemos identificar as empresas que realmente são sérias e sustentáveis? Uma opção seria analisar não somente os produtos da empresa mas por exemplo sua relação com os funcionários e o clima interno da mesma, se ela aplica estes conceitos dentro de casa. Em relação aos produtos e serviços o que poderíamos analisar é se a empresa possui somente 1 ou 2 produtos ecológicos ou se todos eles são ecológicos, se a empresa realmente se preocupar com estas questões, todos seus produtos de alguma maneira terão esta abordagem. É isso aí fiquem atentos com as embalgens e folders verdes. Quem quiser saber mais um pouco, indico os sites abaixo, o conteúdo está em inglês.

Share/Bookmark