uso sustentável da madeira na construção civil

 
Estimativas indicam que entre 43% e 80% da produção madeireira da região amazônica seja ilegal, extraídas de áreas desmatadas ou exploradas de forma predatória e com impactos sócio ambientais graves. Em média, 75% dessa produção é destinada ao mercado interno. A oferta de matéria-prima centraliza-se principalmente em poucas espécies, exercendo uma pressão muito grande sobre as florestas nativas.Como podemos melhorar o processo e torná-lo mais adequado? Existem algumas práticas que podem ser adotadas pelo mercado da construção civil e indústria de móveis que são os principais consumidores desta matéria-prima.

.Solicitar o DOF, Documento de Origem Florestal que é emitido pelo IBAMA;
.Solicitar documentação referente ao Plano de Manejo Florestal, este deve estar adequado e aprovado pelo órgão ambiental local, como a CETESB em São Paulo ou certificado FSC;
. Ao projetar e especificar o tipo da madeira a ser utilizada é importante que sejam consideradas as
características das peças a serem detalhadas, evitando excesso de cortes e emendas. Procure adequar o
projeto às peças com medidas de mercado e também com a espécie de madeira;
. Na obra, verificar a possibilidade do reúso das peças, ou seja, utilizar uma mesma peça mais de uma vez,
dando-lhe uma sobrevida, o que significa economia de dinheiro e matéria-prima;
. Na obra separe adequadamente os resíduos de madeira e garanta a adequada destinação dos mesmos, enviando para a reciclagem peças que possam ser reaproveitadas.

Estas dicas e outras estão no Manual " MADEIRA,uso sustentável na construção civil", ele foi elaborado pelo IPT, Secretaria do Meio Ambiente e Sinduscon e está disponível para download no site do Sinduscon, http://www.sindusconsp.com.br/downloads/prodserv/publicacoes/manual_madeira.pdf. Nele estão apresentadas também várias espécies de madeira com suas principais características físicas e também indicadores da utilização da madeira, como alguns que coloco aqui.