arquitetura de climas quentes e secos. estratégias bioclimáticas

Todos conhecemos alguns dos princípios utilizados na arquitetura autoctona da regiões com clima quente e seco, como os pátios centrais com espelhos d'água para refrescar a casa a típica chaminé que proporciona ventilação passiva e controlável.

detalhe típico de uma chaminé de vento com umidificação

Porém, existem outros artifícios  interessantes e curiosos, que nem sempre nos damos conta porque eles são utilizados. Um deles é a utilização de jarros de barro com água nas entradas de ar. O ar é umidificado assim que passa pelo jarro, uma maneira simplista de fazer as coisas mas que deve funcionar. Outra característica é o teto abobadado, sua função é garantir que parte do telhado esteja sombreado no decorrer do dia, o que não ocorre com o telhado plano. O telhado abobadado neste caso tem outra vantagem, a esfera é a forma geométrica que possui maior volume interno em relação a superfície de contato, ou seja temos uma grande área interno com a menor superfície de contato com o lado externo.

 detalhe típico do jarro d'água na janela, 
ou entrada de ar

comparação áreas de sol e sobra entre telhados