casa malaia - arquitetura de clima quente úmido

Um dos principais desafios para se alcançar o bem estar térmico nos climas quente úmido é a umidade alta. A melhor maneira de solucionar esta questão é a ventilação constante e ao pensarmos em aproveitamento de recursos naturais logo pensamos na ventilação natural como solução, porém não é tão simples como parece. A abertura para captação pode trazer outros componentes como insetos e odores, e a velocidade do vento pode interferir na qualidade da ventilação. Além da umidade, outros fatores climáticos que devem ser controlados ou mitigados no clima quente e úmido são a radiação solar direta e a chuva

A casa malaia tradicional apresenta soluções interessantes e esteticamente bem resolvidas. A Special Unit for South-South Cooperation (SU/SSC) fez um levantamento técnico desta construção para aplicar os conceitos em casas populares, abaixo coloco alguns diagramas do estudo, quem quiser conferir o estudo completo dá para fazer o download no link: http://ssc.undp.org/uploads/media/Malay_house.pdf.

Na cultura malaia alguns aspectos devem ser levados em consideração como a realização da maioria das atividades diárias serem feitas no solo, notamos assim a ausência de móveis e redução do mobiliário em geral, o que influencia na circulação do ar permitindo que ela ocorra com mais facilidade. Outro aspecto cultural é que no decorrer do ano as atividades dos compartimentos são alteradas para se obter maior conforto. Abaixo temos uma compartimentação típica.


As soluções passivas bioclimáticas adotados foram: opção por material de baixa inércia térmica, proteção contra a radiação solar direta, elevação do piso da casa em relação ao solo, utilização de vegetação nativa ao redor da casa para controle de microclima e ventilação natural.