essen, capital verde da europa 2017


Essen, oitava cidade da Alemanha, ganhou o prêmio de cidade verde europeia de 2017 com o lema "Mudando a Maneira que Agimos". Eles fizeram sua apresentação em formato de Diário de Bordo, mostrando os passos, ferramentas e estratégias que utilizaram. A abordagem de resiliência dominou o planejamento como um todo, transformar uma cidade para que sofra menos impactos das mudanças climáticas. Vejam abaixo algumas estratégias e insights do projeto, que teve como base a integração de todos os temas, uma visão holística.




benefícios da cidade "verde"


O distrito verde de Amsterdam constatou os benefícios de uma cidade mais verde, nesse caso com mais vegetação. E eles são muitos, vejam:

> saúde : redução das doenças causadas pela poluição atmosférica, impacto positivo no bem-estar psicológico;
> sociedade : uso recreativo das áreas verdes, humanização dos espaços sociais, introdução da natureza na área urbana, proporcionar um contraste refrescante entre a dureza das fachadas dos prédios, educação para as próximas gerações, aumento da habitabilidade.;
> meio ambiente: proteção da qualidade da água, redução das ilhas de calor, estabilidade da temperatura da cidade, aumento da qualidade do ar, aumento da biodiversidade, prevenção contra enchentes;
> economia: aumento do valor dos imóveis, atratividade turística, redução de gastos com emergências de enchentes e provisão de água, aumento do valor de alugueis.




dia mundial do habitat 2015 | espaços públicos para todos

O dia mundial do habitat foi celebrado pela primeira vez em 1986 pela ONU com o objetivo de refletirmos sobre o estado de nossas cidades e o direto à habitação, pensando sempre no futuro. Assim sendo,  ao longo dos anos sempre na primeira 2a feira do mês de outubro um tema é selecionado para promover políticas de desenvolvimento sustentável que garantam abrigo adequado para todos.

Em 2015 o tema é :  Espaços Públicos para Todos !

Mas o que são esses espaços? São lugares como parques, ruas, calçadas e mercados que atuam como ferramenta para a integração da comunidade e promoção da saúde, felicidade e bem-estar dos cidadãos, bem como o estímulo ao investimento, desenvolvimento econômico e sustentabilidade ambiental urbana.

A ONU considera que um espaço público bem projetado e com boa gestão é capaz de agregar valor para a economia e promover a habitabilidade das cidades, atingindo metas como:

O aumento dos valores de propriedade
A atualização constante dos espaços
O aumento da segurança pública
A integração social e a igualdade
A melhora da saúde e bem-estar
Aumento da qualidade ambiental
Maior atratividade urbana
Um transporte e mobilidade mais eficiente

mudanças climáticas | planejamento das cidades

A ONU, UNHABITAT, lançou em 2015 um livro que serve como instrumento para planejar estratégias urbanas prevendo as alterações climáticas. O que pode parecer óbvio, porém na maioria das vezes não são levadas em consideração.

A alteração do regime de chuvas e temperatura, por exemplo, podem mudar o abastecimento de água potável, a disponibilidade de energia elétrica, além da necessidade de remoção de moradias irregulares em locais vulneráveis e transformar a economia da cidade como um todo. A ideia do livro é integrar essas estratégias em um prazo factível para minimizar, preparar-se e ou eliminar os riscos e consequências das mudanças climáticas.


Com o planejamento é possível desenvolver soluções específicas para as principais questões  junto aos stakeholders, prever adequada captação de recursos e reduzir as perdas econômicas da cidade, como podemos ver no gráfico acima. O objetivo é desenvolver o potencial adaptativo às mudanças climáticas de acordo com as necessidades locais reduzindo a vulnerabilidade urbana, conforme ilustrado abaixo.

Imagens retiradas do livro Integrating Climate Change Into City Development Strategies (CDS)

studio rural | reciclagem de materiais e projetos para a comunidade

O Studio Rural é um programa construtivo da Universidade de Auburn, realizado fora do campus. Criado em 1993 por D.K. Ruth e Samuel Mockbee, proporciona aos estudantes de arquitetura uma experiência educacional real e ao mesmos tempo  ajuda a população carente na região de Black Belt no Alabama. Em seus primeiros anos, o estúdio se tornou conhecido pelo estabelecimento de princípios de reciclagem, reutilização e restauração. Em 2001, após o falecimento de Samuel Mockbee, Andrew Freear sucedeu-o como diretor. A partir de então, o escopo se expandiu assim como a complexidade de seus projetos.

A filosofia sugere que todos merecem o benefício de um bom design e para cumprir com essa ética, o estúdio evoluiu com mais projetos voltados para a comunidade. Os alunos trabalham dentro da comunidade para definir soluções, captar recursos, design e construir os projetos. O estúdio questiona continuamente o que deve ser construído, ao invés do que pode ser construído, tanto para o desempenho como para a operação dos projetos.

Abaixo podemos conferir alguns dos projetos realizados pelo Studio.




A Capela de Vidro tem múltiplos usos para a comunidade local: parada de transporte, espaço de encontro da comunidade, local para o grupo de coral e centro de distribuição de refeições escolares durante o verão. A construção foi feita com para-brisas e chapas de aço reciclados de um ferro-velho de Chicago e paredes de taipa.




A casa de Carpete é projeto patrocinado pela Interface, maior fabricante do mundo de carpete. Assim sendo, as paredes das casas contém 72.000 placas de carpete reciclados empilhadas. Além do programa padrão, a casa tem um abrigo para tornados no subsolo.




O projeto da Cabana de Escoteiro do Lions Park foi realizado considerando usando uma série de madeiras locais com texturas variadas e estrutura simples fixadas no chão, encima de uma laje de concreto. A cabana inclui um espaço com cozinha, banheiro e área de estacionamento para dois trailers de escoteiros.

fotos | TIMOTHY HURSLEY

fundação Bill & Melinda Gates | campus sustentável



Em um terreno de 60.000 m2, substituindo um parque de estacionamento de 5 hectares de asfalto no centro de Seattle, está implantado o campus da Fundação de Bill & Melinda Gates. Suas estratégias de sustentabilidade reduziram o uso de água potável em 80% e o consumo de energia em 40% e devolveram para a cidade uma área verde. Considerando um investimento inicial para um ciclo de vida de 100 anos, a construção eficiente se pagará dentro de 30 anos. Muitas estratégias de projeto foram baseadas na bioclimática e eco-eficiência.


A NBBJ, empresa de arquitetura responsável pelo projeto, consolidou os cinco escritórios alugados em um só campus onde os colaboradores da fundação pudessem focar na sua missão: dar a todas as pessoas a oportunidade de viver vidas saudáveis e produtivas. 


Os princípios de design foram centrados na criação de um ambiente de trabalho saudável e interligado para todos os funcionários, com o objetivo de aumentar a colaboração interna e externa. Sendo assim, foram projetados espaços de trabalhos variados, abertos, fechados, locais de trabalho em grupo, salas de reuniões formais e espaços casuais. O resultado foi uma aprovação de 90% dos usuários. 


O projeto procurou dar presença física para a  missão da fundação e criou um campus inspirador. Sua nova casa age como um hub, uma central de serviços, para a inovação e facilitação de encontros de especialistas variados. Logo, o design do interior do campus levou em conta os artesanatos dos institutos e empresas apoiadas pela fundação, convergindo projeto e filosofia.  Abaixo alguns dos materiais e produtos utilizados.




project sunroof, google | energia solar no seu telhado


A sua conta de energia está cara ou está faltando energia na sua região, a Google te ajudará a calcular o potencial energético de sua edificação, ou melhor do seu telhado. O projeto chamado Sunroof, Teto Solar em português, disponibilizará os dados de radiação solar que atingem seu telhado anualmente levando em conta a inclinação e área do telhado, sombras do entorno, percurso solar e nebulosidade.

Para utilizar basta dar seu endereço e o Project Sunroof lhe dará informações sobre quantidade de painéis em m2 , quantidade de horas utilizáveis para a produção de energia e quanto você economizará anualmente. Assim, você poderá fazer uma estimativa dos custos e benefícios de produzir energia fotovoltaica a partir da instalação de painéis fotovoltaicos no seu telhado.


Sobre a viabilidade da instalação da instalação desses painéis, especialistas dizem que o investimento é amortizado entorno de 5 anos para indústrias.  Em alguns países,  as residências podem vender o excesso da energia produzida. Em algumas comunidades de Freiburg, na Alemanha, elas são responsáveis pela geração de até 20% da energia elétrica consumida. Veja abaixo o esquema de como a energia é produzida divulgada pelo portal G1.





seu negócio sustentável | varejo

 Você conhece as oportunidades para tornar a área do varejo mais sustentável, confira abaixo os dados disponibilizados no Fórum de Varejo e Consumo Sustentável promovido pelo GVcev


concreto fotovoltaico


Acadêmicos alemães desenvolveram um protótipo de um concreto "fotovoltaico." Este novo material chamado "DysCrete" é capaz de converter a luz solar em eletricidade de acordo com os pesquisadores, cujo objetivo final é capturar 2% da energia solar recebida.

Uma equipe da Universidade de Kassel, na Alemanha, usou o princípio da fotossíntese para este "fotovoltaica" concreto. De fato, os pesquisadores aplicaram a célula solar dye , utilizando pigmentos sensíveis à luz artificial, clorofila equivalente. A inovação dos pesquisadores está na capacidade de integrar o concreto como eletrodo.

Este novo material chamado "DysCrete", é feito de um concreto condutor, onde uma camada de óxido de titânio captura a energia solar, através de um corante, atualmente suco de groselha,  fazendo o papel de eletrólito para a reacção, além de  uma fina camada de grafite para realizar a função do segundo eletrodo. Por fim, todo o sistema é protegido por uma camada superior transparente.

O rendimento de 2%  pode ser um valor baixo aparentemente, mas é preciso levar em consideração as dimensões da área onde serão aplicados, tendo em conta as superfícies envolvidas será maior do que no as placas de silício fotovoltaico. Especialmente porque o sistema também reage com a luz difusa, o que significa que ele teria um retorno adequado em fachadas que não recebem radiação direta.

Antes de avançar para a fase industrial, o concreto fotovoltaico ainda tem que passar por uma série de testes.

fonte: batiweb, imagem: © BAU KUNST ERFINDEN/Klussmann/Klooster

eco-bairros | eco-quartiers


Na França existe um selo chamado eco-quartiers que promove o desenvolvimento de projetos para a sustentabilidade dos bairros. De acordo com Sylvia Pinel, ministra da Habitação, Igualdade de Territórios e Assuntos Rurais, os resultados da campanha nacional de 2014 rotulagem eco-quartiers, eco-bairro, foram 19 projetos concluídos em 13 regiões da França e 53 com o diploma de "engajados" na etiqueta.


Abaixo confiram o vídeo com as 10 questões chaves da certificação, as imagens foram retiradas do site do projeto











parque museu | restauração de antiga área de mineração



Um espaço utilizado por uma antiga mineração em Saint-Étienne, se transformou em um parque museu.  O projeto tornou o local em um centro de cultura e também em uma área de convivência. O Parque Couriot e e o  Museu da Mina geraram qualidade para a área, transformado o ambiente e multiplicando a utilização da área.  

filtro d'água natural | biomimética



O Prêmio Nobel de 2003 foi atribuído em parte a Peter Agre, da Universidade Johns Hopkins, por sua descoberta realizada em 1990, de uma membrana de proteína que permite a passagem da água através das paredes celulares. A descoberta do Aquaporin resolveu um problema de longa data da bioquímica.

A Aquaporin, empresa dinamarquesa, desenvolveu uma nova abordagem para a dessalinização da água do mar substituindo a camada de polímeros dos filmes industriais tradicionais por membranas biológicas e está baseada nos princípios da biomimética, vejam o vídeo para entender melhor qual é o conceito.

colhendo orvalho no deserto


O Besouro da Namíbia levanta suas costas contra o ar, deixando o orvalho do deserto condensar ali. Protuberâncias da sua casca armazenam as gotas de água que, em seguida, descem em direção a sua boca. O artigo sobre esse sistema foi escrito em 2001, onde os autores vislumbraram variadas aplicações de uma descoberta realizada através da observação da natureza.



A "Garrafa Dew Bank", projetada por Pak Kitae da Universidade Nacional de Tecnologia de Seul, imita o sistema de coleta de água do besouro. O orvalho da manhã condensa sobre ela e a transmite para um frasco, que tem um bocal para beber. Uma solução que aborda aspectos sociais, econômicos e ambientais.


imagens do site  Yanko Design

Pensado nas aplicações para a construção civil, essa solução poderia ser estudada para ser aplicada nas coberturas de construções e coletar a água do orvalho de locais onde a água é escassa ou em regiões úmidas, onde o excesso de umidade pode causar danos a construção e gerar ambientes insalubres. Uma solução passiva, sem uso de energia e baseada na sabedoria de mais de 3 bilhões de anos de história da vida pela evolução da seleção natural.

não basta ser ecoeficiente, é preciso inovar



Durante a última década, Stuart Hart desenvolveu, juntamente com o colega Mark Milstein, um quadro de valor sustentável que liga diretamente os desafios sociais de sustentabilidade global para a criação de valor por uma empresa.