iluminação natural | componentes da luz

A luz visível está em uma região do espectro eletromagnético cujas ondas tem uma longitude que vai do vermelho (780nm) ao violeta (380nm). Esta pequena região é a energia que os olhos humanos percebem e nos permite ver os objetos, o espectro visível. 

A luz natural é uma fonte luminosa muito eficiente que abrange todo o espectro visível, proporcionando rendimento perfeito das cores, com variações de intensidade, cor, e distribuição de iluminância.

A disponibilidade e as características da luz natural dependem da altitude, meteorologia, época do ano e hora do dia. Sabe-se que a quantidade de luz natural recebida pela terra varia de acordo com a localização e proximidade do litoral. O clima e a qualidade do ar também afetam a intensidade e a duração da luz natural. Assim, de acordo com o clima, a luz natural pode ser previsível ou altamente imprevisível.

A luz natural é composta por 3 elementos:

- O raio de luz solar ou luz solar direta;

- A luz difundida na atmosfera (incluindo nuvens), que chamamos de luz difusa;

- A luz refletida do solo, interior de ambientes e objetos do entorno.

Assim, podemos ver que existem muitos aspectos que podem influenciar a qualidade da luz natural. Por isso, é importante conhecer as características próprias da luz natural que são úteis para a iluminação natural. Dentro delas podemos destacar:

1. Os diferentes tipos de distribuição de iluminância no céu:

- Distribuição de céu com iluminância uniforme;

- Distribuição de céu encoberto (nebulosidade encobrindo o céu em sua totalidade)

 - Distribuição de céu claro e azul , abóboda celeste desobstruída

2. O fator de luz natural, que permite avaliar a aparência total de um ambiente iluminado com luz natural em condições de céu encoberto.

3. A distribuição da luz natural dentro de um ambiente mediante cálculo, para saber se o mesmo tem uma superfície muito grande onde possam surgir zonas com baixa luminosidade, o que chamamos de sistema de luz natural

Usar a luz natural como fonte de iluminação de tarefas de trabalho ou no interior de residências requer medidas especiais para controlar esta fonte dinâmica. Usualmente, as variações contínuas na disponibilidade de luz natural requer dispositivos controle da radiação solar adaptáveis e sistema elétrico complementar para mantermos o nível de iluminância aceitável no ambiente.

Durante a noite, ou mesmo durante o dia no inverno escuro, a iluminação artificial deve ser capaz de fornecer o nível de iluminação necessário para executar a tarefa visual. Em casos onde a luz natural é insuficiente ou inadequada para a realização de uma tarefa, a iluminação elétrica será usada como fonte de luz adicional. Daí o controle da iluminação artificial em função da luz natural torna-se útil e valioso para termos uma gestão eficiente da energia elétrica utilizada na iluminação artificial, onde e quando for realmente necessária.

Além disso, o menor uso de iluminação artificial e proporciona uma menor geração de calor das lâmpadas e componentes das luminárias, como os reatores, o que resulta em uma economia de energia para esfriar o ambiente através de equipamentos elétricos.

ITDP | princípios de desenvolvimento de orientação no trânsito


fonte : ITDP

infraestrutura verde | exemplo da UE

Mas afinal o que é infraestrutura verde e qual a sua importância? De acordo com Gorm Dige ela é um instrumento que permite obter benefícios ecológicos, econômicos e sociais através de soluções baseadas na natureza, para ajudar a compreender as vantagens que esta oferece à sociedade humana e para mobilizar investimentos que sustentem e valorizem estes benefícios.


É uma rede de zonas naturais e semi-naturais, que incorpora espaços verdes e presta serviços ecossistêmicos, baseados no bem-estar e a qualidade de vida humanos.

As infraestruturas verdes podem ter múltiplas funções e benefícios num mesmo espaço. As funções podem ser ambientais como conservação da biodiversidade ou adaptação às alterações climáticas , sociais como drenagem de água e espaços verdes, e econômicas como criação de emprego e valorização dos imóveis.


O contraste com as soluções baseadas nas infraestruturas "cinzas" que geralmente desempenham uma única função, como a drenagem ou o transporte, torna as infraestruturas verdes apelativas pelo seu potencial para resolver vários problemas ao mesmo tempo. As infraestruturas tradicionais continuam a ser necessárias, mas podem ser complementadas por soluções naturais.

Por exemplo, as infraestruturas verdes podem ser utilizadas para reduzir a quantidade de águas pluviais que entram nas redes de esgotos e, finalmente, nos lagos, rios e ribeirões, graças às capacidades naturais de retenção e absorção que têm a vegetação e os solos. Os benefícios das infraestruturas verdes podem incluir, nesse caso, um maior sequestro de carbono, a melhoria da qualidade do ar, a atenuação do efeito de ilha de calor urbana e a criação de mais espaço para acolher habitats de flora e fauna selvagens e atividades de lazer.


Além dos espaços verdes também enriquecem a paisagem cultural e histórica, conferindo identidade aos lugares e cenários das zonas urbanas e periféricas onde as pessoas vivem e trabalham. Os estudos da UE mostram que as soluções de infraestrutura verde são menos caras do que as de infraestrutura tradicional e proporcionam múltiplos benefícios às economias locais, ao tecido social e ao ambiente em geral.


Gorm Dige é gestor de projetos de análise territorial ambiental, política e económica e relator da diretiva da Ue para infraestrutura verdes.

Abaixo os benefícios da infraestrutura verde.


fonte: